PHALAENOPSIS

 

 

UMA PHALAENOPSIS RECEBE LUZ filtrada pelo ripado de madeira: na maioria dos casos, a chamada meia-sombra é a condição ideal para o cultivo de orquídeas.

A luminosidade é um factor importante na saúde das orquídeas, que dificilmente toleram exposição directa ao sol. Em regras gerais, orquídeas se adaptam bem na chamada meia-sombra: embaixo de árvores, sob ripados de madeira ou mesmo na varanda ou janela de um apartamento em que não incida sol directo.

Quase todas as orquídeas se desenvolvem em locais onde são protegidas da luz solar directa. Apenas algumas espécies vivem sob sol directo, mas, neste caso, elas são protegidas do vento forte ou constante.

O primeiro passo para fornecer a quantidade ideal de luz a sua planta, é identificar a espécie ou o género. Assim você poderá escolher o local mais adequado para fixar ou apoiar a sua orquídea.

Todas as orquídeas se adaptam bem em temperaturas entre 15 e 25 graus centígrados. Entretanto, existem orquídeas nativas de altas latitudes que suportam temperaturas baixas, como as dos géneros Cymbidium, Odontoglossum, Miltônias colombianas e as nativas de regiões muito elevadas. Geralmente as orquídeas não toleram bem o frio, como espécies nativas da Amazónia em que seu habitat natural são pântanos de temperaturas altas e muita humidade (C. áurea, C. eldorado, C. violace, Diacrium, Galeandra, Acacallis).

A intensidade de luz que cada espécie necessita varia de planta para planta. O Dendrobium, por exemplo, gosta de luminosidade em 60% e até mesmo um sol fraco nas primeiras horas da manhã. Outras, como o Paphiopedilum, Miltônias colombianas e diversas micro orquídeas são plantas que não suportam bem temperaturas e luminosidade muito elevadas e devem ficar sempre em condições de sombra.

As orquídeas podem vegetar na sombra, meia sombra, luminosidade intensa e pleno sol (raras excepções).

De modo geral as orquídeas não devem receber luz solar directa, com excepção dos primeiros raios matinais.